quinta-feira, 25 de setembro de 2008

CINAMOMO

CINAMOMO




CINAMOMO / CANELA




PANTA QUE PERTENCE À ORDEM DOS LOUREIROS, ÁRVORE COMUM NA ARÁBIA, CULTIVADA NO CEILÃO, CUJA MADEIRA ERA ODORÍFICA (CANTARES 4.14; ) NO APOCALIPSE FALA QUE BABILONIA COMERCIALIZAVA: "E canela, e perfume, e mirra, e incenso, e vinho, e azeite, e flor de farinha, e trigo, e gado, e ovelhas; e cavalos, e carros, e corpos e almas de homens. APOC 18.13), A CASCA, DE COR DOURADA, ERA USADA NA PREPARACAO DE ÓLEOS QUE ERA USADO NA LITURGIA DO CULTO JUDÁICO (EXODO 30.23) OS QUARTOS ERAM PERFUMADOS COM ESSENCIA DE CANELA (Já perfumei o meu leito com mirra, aloés e canela.PROV 7.17)

CANELA

Tu, pois, toma para ti das principais especiarias, da mais pura mirra quinhentos siclos, e de canela aromática a metade, a saber, duzentos e cinqüenta siclos, e de cálamo aromático duzentos e cinqüenta siclos, ( EXODO 30.23)



O nardo, e o açafrão, o cálamo, e a canela, com toda a sorte de árvores de incenso, a mirra e aloés, com todas as principais especiarias ( CANTARES 4.14)

CINAMOMO

INFORMAÇÕES DO GEOCITIES :
Nome Científico: Cinnamomum zeylanicum-Breye
Família: Lauraceae
Nomes populares: Canela, canela de ceião, caneleiro

Características:
Árvore de porte médio, atingindo de 8 a 15 metros de altura por 40 cm de diâmetro. Casca pálida e sem pêlos;
Folhas simples, opostas, ovadolanceolada, contendo três nervuras salientes; apresentam consistência coriácea, e aspecto luzídio na página superior;
Flores pequenas, branco-amareladas, formando pequenas panículas (Carriconde et al, 1995 in Silva, É. B da, 1997).

'Comentários:
Carriconde et al, (1995), diz que a canela é originária do Sri Lanka ( antigo Ceilão ) , introduzida no Brasil pelos jesuítas. Nos dias atuais produz-se canela a partir de plantas nacionais, sem a mesma qualidade do produto originário do Ceilão. São usadas as cascas (caule e ramos) e folhas; a casca possui óleo essencial , taninos, açúcares, cumarinas, diterpenos, sesquiterpenos e minerais. A folha também contém óleo essencial em quantidades diferentes aos da casca em elementos químicos. Tem como terapêuticas: antibacteriana, antifúngica; estomática, carminativa, espasmolítica.
Segundo Cruz, G.L., a ocasião propícia à extração das cascas, é quando se completa um lustro da data do plantio da árvore, então se cortam os ramos e se separam as cascas, que são postas a secar. Sob a ação do sol, elas enrolam e posteriormente são vendidas. É uma planta estimulante, tônica. É recomendada no combate às gripes, resfriados, tosses, afecções catarrais, hemorragia pós-parto e escorbuto. É ainda estimulante da circulação.
Albuquerque (1989) in Silva, É. B da, (1997), afirma que o chá feito com as folhas ou cascas é ótimo para combater o reumatismo e a pressão alta.
Sousa et. al (1991) in Silva, É. B da, (1997), comenta que o princípio ativo da planta usada em altas doses provoca irritação das mucosas e hematúrias.
Composição Química:
Óleo essencial - encontrado na casca e na folha
Taninos
Açucares
Cumarinas
Diterpenos e Sesquiterpenos
Minerais


3 comentários: